Entenda Mais Sobre a Infertilidade Masculina

A infertilidade conjugal é caracterizada pela dificuldade do casal engravidar após um ano de relações sexuais sem uso de métodos anticoncepcionais.

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), nas últimas décadas houve um declínio na quantidade e na mobilidade dos espermatozoides na população masculina. É verdade que teoricamente precisamos de apenas um espermatozoide vencedor para fecundar o óvulo, mas para fecundar um óvulo em gravidez espontânea o homem precisa de um exército de espermatozoides.

Para avaliar a fertilidade masculina existem exames que verificam o número, a mobilidade e a forma dos espermatozoides. Segundo Lais Diniz, do laboratório de andrologia do IVI Salvador, um resultado idôneo para conceber é ter mais de 39 milhões de espermatozoides na ejaculação e pelo menos 32% de espermatozoides com movimento progressivo, além de ao menos 4% de formas normais.

Os problemas nos espermatozoides como baixa quantidade ou mobilidade são a causa mais frequente da infertilidade masculina

Como para quase tudo nesta vida há solução, a infertilidade não é diferente. Pelo menos 85% dos casos de infertilidade têm solução. No caso da infertilidade masculina, podemos resumir da seguinte forma:

Captura de Tela 2016-05-04 às 10.01.08

Captura de Tela 2016-05-04 às 10.01.16

MACS – técnica de seleção de sêmen

Atualmente uma técnica que aumenta 10% das possibilidades de êxito da gravidez é a MACS (magnetic actived cell sorting) que consiste em dar um passo além das tradicionais técnicas de seleção de sêmen baseadas somente em sua morfologia e mobilidade. O MACS, adotado de forma pioneira pelo IVI, inclui outros fatores moleculares implicados na fertilidade. Têm como base um dos processos fisiológicos do organismo humano, a apoptose ou morte celular programada, ou seja, considera a vida das células e os distintos tecidos que nascem, têm um tempo limitado de vida e morrem.

Existem hábitos que podem favorecer a fertilidade masculina. São eles:

Alimentação: A obesidade, ou sobrepeso e a má alimentação estão relacionados com uma menor produção de espermatozoides. Uma alimentação pobre em antioxidantes (vitaminas E, A, C, B-12, arginina, selênio, etc.) atua negativamente sobre o DNA espermático.

Consumo de álcool e cigarro: Os níveis de testosterona são afetados pelo álcool, que também afeta a libido, a qualidade e quantidade dos espermatozoides. O cigarro, unido ao consumo excessivo de álcool, não apenas soma, mas sim multiplica os efeitos negativos sobre o sistema reprodutor masculino. São numerosos os estudos que abordam a capacidade mutagênica dos compostos do cigarro sobre as células germinais. Afeta, como o álcool, a qualidade e quantidade dos espermatozoides.

Drogas: A maconha é a droga mais consumida em todo o mundo. Estudos demonstram que altas doses desta droga (8-20 cigarro/dia) são associadas a uma diminuição significativa na concentração, mobilidade e alterações na morfologia espermática.

Stress: Também foi estudado o efeito do stress cotidiano na infertilidade masculina. No caso de homens submetidos a situações muito traumáticas de stress, a qualidade dos espermatozoides é seriamente alterada.

Sobre o IVI
Com sede em Valência, na Espanha, o Instituto Valenciano de Infertilidade (IVI) iniciou suas atividades em 1990. Possui mais de 50 clínicas em 11 países e é líder em medicina reprodutiva. O grupo conta com uma Fundação, um programa de Docência e Carreira Universitária. www.ivi.net.br – IVI Salvador: (71) 3014 9999

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Grávida Dicas

privacy Valorizo sua privacidade. Nunca envio spam.

About The Author

Gizelle Cavalcante

Co-Fundadora da Carmel Digital em Fortaleza - Ceará, fundadora (e redatora) do Blog Diz Aí Gi, esposa do Luciano, mãe do Elvis (um Maltês super fofo) e querendo um filho para amar!

Comenta Aí!

Leave A Response

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.

* Denotes Required Field